Vice-prefeito e mais 4 são presos em SC com panfletos contendo suástica

O mesmo material também foi distribuído em Canoinhas, inclusive em uma escola estadual

Estado
29 de Outubro, 2018 279

Publicado em: 29/10/2018 às 11:08

Atualizado em: 29/10/2018 às 17:10

O vice-prefeito de Tijucas, Adalto Gomes (PT), e mais quatro pessoas foram presos na tarde deste sábado (27) com panfletos contendo uma suástica. A Polícia Civil informou que os cinco foram soltos após pagar fiança de um salário mínimo (R$ 954). De acordo com a Polícia Militar, o grupo distribuía o material no Centro de Tijucas, na Grande Florianópolis.

O advogado de Gomes, Evaldo Guerreiro, afirmou que "a defesa entende que ele estava fazendo uma panfletagem, o que é de direito e permitido até as 22h de sábado (27). As manifestações que havia nos panfletos eram pura liberdade de expressão. Houve distorção da liberdade de expressão, houve uma distorção da interpretação da lei".

O delegado regional de Balneário Camboriú, David Queiroz, informou que o grupo foi enquadrado no artigo 22, inciso 1 da Lei da Segurança Nacional, número 7.170 de 1983.

'A existência da cruz suástica foi o fator principal que fez com que a conduta fosse tipificada pelo artigo 22, inciso um da Lei de Segurança Nacional', afirmou o delegado.

O panfleto apreendido contém comparações entre os dois candidatos à Presidência da República, Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

Denúncia e prisões

A 31ª Zona Eleitoral, em Tijucas, recebeu denúncia de veiculação de propaganda eleitoral irregular. A Justiça Eleitoral, então, determinou que fosse apreendido exemplar do panfleto e que quem estivesse fazendo a distribuição fosse encaminhado à delegacia.

A PM informou que encontrou quatro pessoas, dois homens e duas mulheres, com o material irregular por volta das 15h15. Segundo a polícia, em seguida o vice-prefeito se apresentou como responsável.


Depois, a PM recolheu os panfletos. O grupo que distribuía o material tinha veículo próprio e foi escoltado pela polícia até a Delegacia de Itapema, no Litoral Norte, que fica a cerca de 17 quilômetros de Tijucas.

Agora, conforme o delegado, a Justiça analisará se o flagrante é lícito. Em seguida, o documento é enviado ao Ministério Público, que decide se faz ou não denúncia contra o grupo.

EM CANOINHAS

Em Canoinhas o mesmo material foi distribuído em vários pontos da cidade, inclusive no estacionado da escola estadual Sagrado Coração de Jesus. O panfleto estava intercalado no jornal ligado a movimentos sindicais. O caso foi denunciado a Justiça Eleitoral, porém os responsáveis pelo crime eleitoral não foram localizados.

Fonte G1

Envie suas fotos ou notícias para o Portal! (47) 99636-3646