Delatores da Odebrecht também citam Raimundo Colombo e mais cinco políticos de Santa Catarina

Além de mandar investigar 98 políticos em 74 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin também deu andamento aos casos de outros nomes citados nas delações de executivos da Odebrecht e que devem ser analisados por outras instânc

Estado
12 de Abril, 2017 220

Publicado em: 12/04/2017 às 16:34

Além de mandar investigar 98 políticos em 74 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin também deu andamento aos casos de outros nomes citados nas delações de executivos da Odebrecht e que devem ser analisados por outras instâncias da Justiça. Entre eles, estão o governador Raimundo Colombo (PSD), a ex-senadora Ideli Salvatti (PT) e outros quatro políticos de Santa Catarina.

Eles foram citados pelos delatores da Odebrecht, mas a Procuradoria-Geral da República não fez juízo de valor sobre as denúncias porque são casos que não têm foro no STF. Uma petição que cita o governador Colombo foi remetida ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde são analisadas as ações que envolvem governadores.

Outro caso que envolve foro diferenciado é o do deputado estadual Jean Kuhlmann (PSD). O Diário Catarinense teve acesso à petição de Fachin sobre o parlamentar, em que consta a acusação, por parte dos delatores da empreiteira, de que ele teria recebido R$ 65,6 mil em 2004, quando era vereador em Blumenau, pela facilitação de recebimento de faturas de serviços prestados e não pagos. Kuhlmann também teria recebido R$ 50 mil por meio de caixa 2 quando foi candidato a prefeito de Blumenau em 2012. 

Por ser deputado estadual, o pessedista teve o caso remetido ao Tribunal Regional Federal da 4a Região, com sede em Porto Alegre.

Os outros políticos catarinenses citados não têm prerrogativa de foro e terão os casos analisados em primeira instância, na Justiça Federal em Santa Catarina. Uma das petições reúne Ideli Salvatti e o ex-prefeito de Joinville Carlito Merss (PT). Completam a lista os ex-prefeitos Jaison Cardoso de Souza (PSDB), de Imbituba, e Roberto Carlos de Souza (PSDB), de Navegantes. 

Carlito, Jaison e Roberto Carlos eram citados nas planilhas de supostas doações da Odebrecht para mais de 200 políticos que vazou em março de 2016, assim como Colombo

. Na época, também constavam nas planilhas os nomes do então prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Junior (PSD), e do atual prefeito de Lages, Antonio Ceron (PSD). Ambos não aparecem nas 201 petições divulgadas ontem pelo Supremo.

Fonte: Papanduva Noticias

Envie suas fotos ou notícias para o Portal! (47) 99636-3646