?Chupa-frango? ataca no Paraná? Entenda o que pode ter acontecido com os animais mortos!

Dezenas de animais fora encontrados mortos, sem o coração e sem sangue

Sul do Paraná
09 de Abril, 2018 2.297

Publicado em: 09/04/2018 às 20:23

Atualizado em: 09/04/2018 às 20:24

Após encontrar mais de 30 animais mortos com sinais de violência e dilacerações em uma chácara de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na última quarta-feira (28), a Guarda Municipal (GM) do município solicitou a análise de uma médica veterinária, uma bióloga e outros profissionais para tentar identificar o que vitimou os bichos. 

O pedido foi encaminhado à Secretaria Municipal do Meio Ambiente logo após a ocorrência, mas, por causa do feriado de Páscoa, os profissionais foram à fazenda somente na manhã desta segunda-feira (2).

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de São José dos Pinhais, Claudio Roberto de Melo Arruda, que responde pela GM do município, a suspeita é de que o ataque tenha sido causado por um animal. ?Os fiscais da secretaria foram ao local para coletar todas as informações, verificar os ferimentos nas aves e gatos, pegadas, fotos e também analisar como o canto do viveiro foi cortado pelo agressor?, disse.

Caso o laudo identifique que um animal silvestre de grande porte tenha sido o responsável pelas mortes, como uma onça, por exemplo, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) será acionado para acompanhar o caso. ?Os moradores da região também receberão orientações para sua segurança. Mas tudo depende da apuração?, informou Arruda.

Suspeitas

A Divisão de Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente acredita que o ataque tenha sido feito por cachorros. ?Nós chegamos à chácara nesta segunda às 9h30 e encontramos dois cães, que foram pegos pelo dono da chácara em uma espécie de armadilha que os prendeu?, disse Luiz Claudio Silva, chefe da Divisão e agente fiscal que acompanhou a análise.

Segundo ele, a médica veterinária analisou as mordidas nos gatos e há possibilidade de que tenham sido ações dos dois animais apreendidos. ?Pode acontecer de cães soltos e sem dono matarem até por brincadeira?, afirmou. Os especialistas devem preparar um relatório a respeito da visita e emitir um laudo nesta terça-feira (3).

Enquanto isso, os dois cachorros foram recolhidos pela Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) e ficarão em observação pelos próximos 10 dias. Eles não apresentam raça definida.

Além da análise na chácara da Colônia Zacarias atacada na última quarta-feira, a equipe também deve visitar outra fazenda da região, onde um bode, algumas galinhas e gansos foram mortos da mesma maneira na última semana. ?Como é uma chácara vizinha, acreditamos que os ataques foram cometidas pelos mesmos agressores?, informou o agente fiscal.

Outro ataque misterioso

Os casos são muito parecidos com o registrado no Bairro Alto, em Curitiba, no fim de fevereiro, quando 50 aves foram encontrados em circunstâncias igualmente misteriosas. Na ocorrência, diversas galinhas, perus e gansos tiveram seus corações aparentemente arrancados. De acordo com a Polícia Civil, o caso é investigado pela Delegacia de Proteção ao?Meio Ambiente, que aguarda um laudo pericial para dar continuidade às apurações.

Outros casos

Moradores do Bairro Alto acordaram, no final de fevereiro, com um mistério no quintal de casa na Rua Marquês de Abrantes. Pouco mais de 50 aves que eram criadas pela família de Márcia Batista da Silva, 48 anos, amanheceram mortas e o pior: com marcas de algo que parece ter sido até um ritual.

O caso macabro foi descoberto na manhã de terça-feira (27). ?Só descobrimos quando fomos alimentá-los. Estranhamos que todos estavam deitados, aí quando chegamos mais perto, vimos que estavam mortos. Começou um mistério pra gente?, contou a mulher.

Segundo Márcia, todas as aves tinham sinais de violência e, aparentemente, estavam com o coração arrancado. ?A gente não chegou a ver se de fato retiraram o coração, mas os bichinhos estavam com um buraco no peito, na direção em que fica o órgão. O pior e o que mais nos chocou, é que não havia sangue no espaço em que elas estavam?.


De todos os patos, perus, galinhas e gansos mortos, apenas duas galinhas sobreviveram. ?Acho que só escaparam porque estavam empoleiradas em algum canto, por isso não foram vistas. Mas até agora ninguém entendeu o que aconteceu?.

Fonte : Tribuna do Povo

Envie suas fotos ou notícias para o Portal! (47) 99636-3646